confira os próximos eventos do charlie puth:
  • 10 de Maio
    Festa de lançamento do Voicenotes
    Nova York – NYC
  • 11 de Maio
    Lançamento do Album Voicenotes
    Mundial
  • 09 de Junho
    Summertime Ball
    Londres, Inglaterra – Reino Unido
  • 13 de Março
    Blue Hills Bank Pavilion
    Boston, Massachusetts – EUA
  • 16 de Março
    Radio City Music Hall
    Nova York, NYC – EUA
  • 19 de Março
    Mohegan Sun
    Uncasville, Connecticut – EUA
  • 21 de Março
    Bank of New Hampshire Pavilion
    Gilford, Nova Hampshire – EUA
  • 22 de Março
    Saratoga Performing Arts Center
    Saratoga Springs, Nova York – EUA
  • 24 de Março
    BB&T Pavilion
    Camden, Nova Jersey – EUA
  • 25 de Julho
    Wolf Trap Center
    Vienna, Virgínia – EUA
  • 27 de Julho
    PNC Music Pavilion
    Charlotte, Carolina do Norte – EUA
  • 28 de Julho
    Walnut Creek Amphitheatre
    Raleigh, Carolina do Norte – EUA
  • 31 de Março
    Huntington Bank Pavilion
    Chicago, Illinois – EUA
  • 02 de Agosto
    DTE Energy Music Theatre
    Clarkston, Michigan – EUA
  • 03 de Agosto
    Riverbend Music Center
    Cincinnati, Ohio – EUA
  • 05 de Agosto
    Ruoff Home Mortgage Music Center
    Noblesville, Indiana – EUA
  • 06 de Agosto
    Hollywood Casino Amphitheatre
    Maryland Heights, Missouri – EUA
  • 08 de Agosto
    Xcel Energy Center
    St. Paul, Minnesota – EUA
  • 09 de Agosto
    Starlight Theatre
    Kansas City, Missouri – EUA
  • 11 de Agosto
    Isleta Amphitheater
    Albuquerque, Novo México – EUA
  • 12 de Agosto
    The Pearl Concert Theater
    Las Vegas, Nevada – EUA
  • 14 de Agosto
    Greek Theatre
    Los Angeles, Califórnia – EUA
  • 15 de Agosto
    FivePoint Amphitheatre
    Irvine, Califórnia – EUA
  • 17 de Agosto
    Shoreline Amphitheatre
    Mountain View, Califórnia – EUA
  • 18 de Agosto
    Lake Tahoe Harvey’s Outdoor Arena
    Stateline, Nevada – EUA
  • 20 de Agosto
    Mattress Firm Amphitheatre
    Chula Vista, Califórnia – EUA
  • 21 de Agosto
    AK-Chin Pavilion
    Phoenix, Arizona – EUA
  • 23 de Agosto
    The Pavilion Irving Music Factory
    Irving, Texas – EUA
  • 24 de Agosto
    Cynthia Woods Mitchell Pavilion
    The Woodlands, Texas – EUA
  • 26 de Agosto
    Walmart Arkansas Music Pavilion
    Rogers, Arkansas – EUA
  • 28 de Agosto
    Ascend Amphitheater
    Nashville, Tennessee – EUA
  • 29 de Agosto
    Verizon Amphitheatre
    Alpharetta, Geórgia – EUA
  • 31 de Agosto
    MidFlorida Credit Union Amphitheatre
    Tampa, Flórida – EUA
  • 01 de Setembro
    Perfect Vodka Amphitheatre
    West Palm Beach, Flórida – EUA
  • 11 Maio
    Lançamento do álbum Voicenotes
    MUNDIAL
  • 00 Março
    A Definir
    Estados Unidos
  • 14 junho
    Exponop
    Sinop, MT
  • 15 junho
    Espaço Verde
    Lucas do Rio Verde, MT
  • 16 junho
    Parque Vila Germânica
    Blumenau, SC
  • 17 junho
    Festa Nacional do Pinhão
    Lages, SC
  • 18 junho
    Polo Industrial II
    Jandira, SP
  • 21 junho
    Festa da Tainha
    Paranaguá, PR
  • 22 junho
    São João de Patos
    Patos, PB
  • 23 junho
    São João de Salvador
    Salvador, BA
  • 23 junho
    Patio de Eventos Ana das Carrancas
    Petrolina, PE
  • 24 junho
    Hotel Monte Castelo
    Gravatá, PE
  • 25 junho
    São João Elétrico
    Porto Seguro, BA
  • 28 junho
    São João de Arcoverde
    Arcoverde, PE
  • 29 junho
    O Maior São João do Mundo
    Campina Grande, PB
  • 30 junho
    São Luís Shopping
    São Luís, MA
postado por igorpurcino no dia 10.05.2018

Com o lançamento do seu segundo álbum em estúdio marcado para dia 11 de Maio, o The Times UK, sentou com Charlie Puth para um bate papo incrível onde o cantor fala sobre suas ótimas lembranças do passado e um pouco sobre o álbum “Voicenotes”, que para ser sincero com vocês é um trabalho extraordinário até o presente momento devido às suas canções já lançadas. Confira a matéria traduzia e adaptada logo abaixo.

Helena de Bertodano conhece o homem que supera Harry Styles e cuja música ultrapassou “Gangnam Style” como o vídeo mais assistido do YouTube, com “See You Again”.

Em 2005, Charlie Puth — pronunciado como verdade — era apenas mais um aspirante a cantor e compositor. Esse foi o ano em que um pequeno site de vídeo chamado YouTube foi lançado e o cantor rapidamente viu seu potencial. “Eu vi a luz no fim do túnel”, diz ele hoje. “Seria preciso muito trabalho, mas eu sabia o que estava por vir”. Dentro de três anos ele teve 80.000 seguidores ouvindo-o cantando covers de Beyoncé e Adele. Ele ainda tinha apenas 17 anos de idade.

Hoje, seus vídeos no YouTube têm bilhões de visualizações e os fãs esperam dias para vê-lo tocar ao vivo. Um single que ele lançou em 2015 com o rapper Wiz Khalifa, “See You Again”, foi para o número #1 na Grã-Bretanha e América, onde liderou as paradas por 12 semanas, assim como vários outros países. Ele foi indicado para três GRAMMYs e, resumidamente, tornou-se o vídeo do YouTube mais visto de todos os tempos, encerrando o reinado de cinco anos de “Gangnam Style”. Até hoje, uma música conseguiu mais de 3,5 bilhões de visualizações. Pelo menos seis das faixas de Charlie ultrapassaram até mesmo o single de maior sucesso de Harry Styles como artista solo.

Então, por que o Styles é muito mais conhecido que o Charlie? Harry, na verdade, só é mais conhecidos pela sua ex-banda One Direction. Se você perguntar a um adolescente, alguém que está realmente ouvindo faixas no YouTube, é mais provável que ele esteja familiarizado com a música de Charlie. Seu primeiro álbum, “Nine Track Mind”, foi lançado em 2016 e, apesar de seu sucesso, o cantor quase estremece com a lembrança de sua suavidade. “Essas músicas na maior parte não eram eu. Eu estava tentando descobrir quem eu era”. disse o cantor. Agora ele está prestes a lançar seu segundo álbum,Voicenotes”, e se sente muito mais confortável: “Eu definitivamente bati meu ritmo”. disse o cantor. O primeiro single, “Attention”, já tem quase 740 milhões de visualizações . Uma música de “merda de conversa”, como descreve o cantor, “é a primeira música que realmente me define como artista — é sem palpites jazzísticos”. Três dias depois de nos encontrarmos, ele postou o vídeo do YouTube para outra faixa do álbum, “Done For Me”. No dia seguinte já estava com 3 milhões de visualizações.

Charlie Puth, 26 anos, é um produto completamente diferente do Harry Styles. Ele é inteiramente da geração do YouTube. O que o torna excepcional, no entanto, é que ele não só escreve sua própria música, como produz, grava e faz a mixagem também. Isso ajuda, é claro, que ele tenha um tom perfeito, permitindo que ele identifique ou cante uma nota musical sem um tom de referência. Também ajudou, nos primeiros dias, que ele pudesse lançar seus próprios vídeos. Não há necessidade de um contrato recorde ou uma equipe de marketing. Na era da internet, você pode se tornar uma grande estrela sem nada tão antiquado quanto um álbum de verdade em uma loja de música de verdade ou, como ele diz, “Eu sempre amei atualizar minha página ou voltar para casa da escola e ver minha contagem de inscritos subir. Ganhar dinheiro on-line era muito atraente para mim e a celebridade on-line sempre foi atraente para mim. Não era a opção popular e eu estava sozinho. Eu queria mostrar às pessoas que você pode encontrar alegria em ficar em casa em uma noite de sexta-feira e fazer algo artístico”. Essa é a gênese de uma estrela pop hoje em dia.

Charlie cresceu em Nova Jersey, onde sua mãe professora de música, Debra, infundiu música na casa. “Eu acordava com ela tocando piano” diz ele. Há um vídeo caseiro de Charlie, com três anos de idade, cantando sem falhas “Neil Sedaka Breaking Up”, é difícil de fazer. Sua mãe começou a ensinar piano quando ele tinha quatro anos, e, quando ele tinha 12 anos, ele se ofereceu para intervir para um organista que não conseguiu aparecer em sua igreja católica local na quarta-feira de cinzas, jogando toda a massa de memória. Foi um momento decisivo, no momento em que os que estavam ao seu redor perceberam que ele tinha um dom excepcional. Mais tarde ele foi para a Berklee College of Music em uma bolsa de estudos integral. Algo estava faltando, no entanto. “Eu participei de todos os shows do X Factor, todos os America’s Got Talent, e fui rejeitado porque eu tinha 15 anos e mostrava meu lado tímido; Eu não acho que eu já tive o poder da estrela visual. Eu era muito diferente [das outras crianças] na escola. Todo mundo estava jogando futebol e fazendo coisas do ensino médio. Eu era o estranho indo para a aula e fazendo vídeos no YouTube. Eu estava sozinho”. disse o cantor.

Charlie tem cerca de 11 milhões de inscritos em seu canal no YouTube, com o vídeo mais popular sendo, “See You Again”, parceria com o rapper Wiz Khalifa, o vídeo possui 3,5 bilhões de visualizaçõese é parte da trilha sonora do filme Velozes e Furiosos 7, ele tirou “Gangnam Style” de se tornar, por um breve momento, o vídeo mais visto no YouTube, embora confiante em si mesmo, ele se importou com a exclusão. “Eu queria experimentar coisas que eram típicas. Eu queria uma namorada e não tive uma por um bom tempo. Às vezes eu ia a festas para as quais não fui convidado e as pessoas ficariam chateadas por eu estar lá”. explicou Charlie.

O que eventualmente lhe deu o fator X perdido foi a força do seu talento musical. E a plataforma, claro, era o YouTube. Em 2011, Ellen DeGeneres, apresentadora de talk shows dos EUA, viu um de seus vídeos e o convidou para o programa. “Eu desliguei o telefone porque não acreditava que fosse verdade” disse ele. Ela persistiu, bombardeando suas antigas escolas com ligações e, finalmente, ele recebeu a mensagem. Ela o contratou para sua gravadora, mas dobrou e ele não foi pego novamente até 2015, quando foi contratado pela Atlantic Records. Em retrospecto, o atraso foi uma bênção disfarçado. “Eu amadureci mais. Estou feliz que a fama não me atingiu quando eu era mais jovem”. disse o cantor.

Agora, claro, todo mundo quer ser seu amigo. Ele tem 9,6 milhões de seguidores no Instagram e seu feed está repleto de comentários apaixonados como “Você é meu ídolo” e “Por favor, case-se comigo”. Ele acha isso quase tão desconcertante quanto o ostracismo que experimentou quando adolescente. “Eu nunca quero que as pessoas falem comigo como se cada palavra que eu dissesse fosse um ovo de ouro. Eu ainda sou apenas um cara”, disse Charlie.

Nós nos encontramos no hotel Sunset Marquis em Hollywood, onde Charlie está hospedado em uma vila. Ele escolhe uma sala de estar no andar de cima para a entrevista, que é decorada com um piano de cauda. “Eu posso sentar em qualquer lugar que você gosta”, diz ele — mas imediatamente em direção ao banquinho do piano. O piano se torna um suporte de conversação. A cada poucos minutos, ele se vira e toca algumas notas, seja para enfatizar um ponto — ele toca e canta trechos de músicas dos Beach Boys, dos Carpenters e dos Isley Brothers, ao explicar suas influências musicais — ou para reproduzir o tom de uma música. som que ele acabou de ouvir. Há uma piscina fora da vila e uma criança superexcitada continua gritando. “Isso é um F afiado”, diz ele, tocando a nota. Todo som é uma nota para ele. “Isso pode ser muito complicado, porque estou tentando falar com as pessoas e ouço o vento, um ar-condicionado, um pássaro, um telefone … Às vezes pode ficar fora de controle”, dia o cantor. Ele levanta as mãos para os ouvidos enquanto diz isso, como se sua cabeça estivesse explodindo, “eu só tenho que respirar”.

Vestido com uma camiseta branca e jeans rasgados, ele se auto-deprecia em sua aparência. “Alguém como Harry Styles, você apenas o vê e pensa [ele estala os dedos] rock star”. Ele tem o cabelo. ”Ele puxa o próprio cabelo e brinca: Estou tentando crescer, quero que pareça o de Harry. Na verdade não. Mas eu nunca pensei em mim como o tipo rock-star”. Sua sobrancelha direita é distintamente irregular e os fãs raspam as sobrancelhas para parecer com ele. Mas é uma cicatriz, de um ataque de cachorro quando ele tinha dois anos de idade que quase o matou e precisou de 450 pontos. “Eu não me lembro disso, mas talvez no fundo do meu subconsciente isso me tornou mais uma pessoa sensível e introvertida”, explicou Charlie. Quando ele se viu no brilho total da publicidade, ele quase perdeu o rumo. “Eu nunca fui louco, mas pensei em continuar sendo famoso, eu tinha que ser de certa forma. Eu perdi minha cabeça por um minuto. Eu me cercava de pessoas que não estavam necessariamente melhorando minha vida e me fazendo o melhor Charlie que eu poderia ser — como minha mãe diz”.

Há algo de carinhoso sobre esta afirmação. Charlie descaradamente adora sua família: “Graças a Deus eu sempre tive eles em torno de mim para me manter sob controle”. Ele mora em Hollywood Hills com sua irmã mais nova e irmão, os gêmeos Mikaela e Stephen, e seus pais se mudaram nas proximidades. Ele ainda corre toda a sua música além da mãe primeiro. “Ela tem a melhor audição de todas. Eu sempre amei o jeito que ela reagia quando suas músicas favoritas apareciam. Isso me fez querer fazer músicas que a fizessem reagir da mesma maneira”.

O grito da criança passa pela janela novamente. “Uau que foi E plana desta vez, um pouco mais baixo”, diz ele, voltando-se para tocar as notas. “F afiado então E plano…” Ele se vira de volta e diz “sobre o que estamos falando?”. Embora cante sobre relacionamentos, Charlie não fala mais sobre eles. “Você pode perguntar, mas eu não vou responder”, ele diz bem humorado, mas acrescenta que está ansioso para se estabelecer um dia e ter uma família. Houve um caso relatado em 2016 com Selena Gomez, com quem ele cantou “We Don’t Talk Anymore”, que pode ter levado a uma explosão no palco quando ele gritou “Foda-se você, Justin Bieber” no meio da música — No caso de a emocionante saga Bieber-Gomez ter escapado de qualquer um, eles tiveram um relacionamento on-off nos últimos oito anos e aqueles que chegam entre eles geralmente acabam sendo atropelados. Houve alguns outros relacionamentos breves que encontrou seu caminho para os olhos do público. Qualquer um que queira uma visão da vida amorosa de Charlie só precisa ouvir o novo álbum. “Attention” é uma canção amargamente brilhante sobre uma garota que o impede de seguir em frente, “How Long” é um pedido de desculpas para uma noite só. “Essas músicas têm que ser verdadeiras ou então parecerão rígidas no palco, minha esperança é que as pessoas ouçam a honestidade”, diz ele. No entanto, há uma nova música, “The Way I Am”, que ele admite ser um autorretrato sem disfarces. “É a música mais honesta que já escrevi”, estou impressionada com a letra: “Everybody’s trying to be famous / And I’m just trying to find a place to hide”.

Por: The Times UK
Tradução: Laura Radespiel – EquipeCPBR